A cidade de Muriaé (MG) recebe exposição do Cavalo Campolina

355

Criadores do Cavalo Campolina têm encontro marcado na I Exposição do Cavalo Campolina de Muriaé (MG), que vai de 4 a 7 de setembro. A proposta do Núcleo dos Criadores do Cavalo Campolina da Zona da Mata e Adjacências, responsável pela organização, é divulgar a raça e os trabalhos em torno do andamento para atender os mercados mais exigentes. Os concursos de marcha e morfologia devem reunir cerca de 130 cavalos, de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, especialmente de Muriaé, Matipó, Juiz de Fora, Ponte Nova, Santa Margarida, Rio Pomba, Miraí, Barbacena e da capital Belo Horizonte.

Cumprindo a determinação da Associação Brasileira dos Criadores do Cavalo Campolina – Campolina Marchador, todas as categorias de animais adultos (cavalos montados) participarão de uma prova funcional, que consiste em abrir e fechar porteira, fazer baliza, galope, tambor, equitação de trabalho, recuo e freio com rédea livre. Será uma excelente oportunidade para quem quiser conferir o padrão racial do Cavalo Campolina e sua marcha cômoda e confortável, além de sua funcionalidade para  serviço, lazer e provas de marcha.

Ao mesmo em que forma uma grande vitrine da raça na região, o evento vai refutar a ideia de que o Cavalo Campolina é de má índole, “reboladora” – como se diz na equinocultura -, grande demais e que não apresenta andamento marchado. “Este, aliás, é um dos motivos pelo qual nossos animais não são procurados para compra, cenário que aos poucos vão sendo desmitificados”, avalia Cristiano Guarçoni, presidente núcleo.

Criador há quatro décadas, José Mauro Moreira Couto, do Haras das Plumas, em Rio Casca (MG), é apaixonado pela arte de criar o Cavalo Campolina e faz de tudo para divulgá-lo. Na medida do possível, tenta participar de várias exposições, levando seus melhores cavalos.  Trabalha na linha de genética apurada, que tem mercado certo, e também comercializa castrados para a turma das cavalgadas e torneiros de marcha, que ocorrem aos montes. Este, inclusive, é um nicho que raça está penetrando.

De mamando a caducando, é dono de quase 80 animais, entre éguas, garanhões, potros e embriões, com foco nas pelagens sólidas e começando agora com a pampa. Para a 1ª Exposição do Cavalo Campolina de Muriaé havia reservado seis animais. Uma aposta  é Tornado das Plumas, premiado em vários concursos de marcha, variando sempre entre campeão e reservado.  Também levará um potro chamado Euro das Plumas, de 23 meses de idade, que estreou nas pistas no mês passado, em Conselheiro Lafaiete (MG). “Pelos comentários dos jurados, este promete ser um animal de ponta dentro da raça Campolina”, afirma Couto.

A 1ª Exposição do Cavalo Campolina de Muriaé ocorre junto com a 59º Exposição Agropecuária da cidade, evento com uma programação carregada em exposição de produtos e serviços, pecuaristas, agricultores e criadores de caprinos, ovinos e outras raças equinas.

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui