ASCON quer melhorar o intercambio com os contadores da região

480
Público presente a reunião
Público presente a reunião

Por Devair Guimarães e Vitor Hugo

Em reunião realizada nesta manhã de quarta-feira, 17/06/2009, mais de dez municípios se fizeram representar em um evento onde a ASCON (Associação dos Contabilistas da Região Leste de Minas Gerais). Representantes dos órgãos: Receita Federal, Estadual, Receita Previdenciária, e CRC, falaram aos contadores de Manhuaçu e região. Os agentes da Receita Federal, Fernando e Vanuza, falaram sobre as dificuldades da Receita Federal de Manhuaçu, para atender a grande demanda de aproximadamente 700 mil pessoas com apenas 5 funcionários. “Esperamos que até novembro já tenhamos mais quatro funcionários que fizeram concurso e estão aguardando suas efetivações” Disse Vanuza, ainda complementando ela explicou sobre a objetividade dessas reuniões onde a troca de idéias resulta em maior conhecimento para que os contribuintes possam ser orientados para evitar perca de tempo na Receita Federal com problemas simples que poderiam ser resolvidos em seus municípios através da internet ou com seus contadores, “Hoje esses atendimentos desnecessários chegam a 60% dos atendimentos feitos pela Receita Federal”. Fernando disse que apesar dos problemas e dificuldades de atendimento da Receita Federal, Manhuaçu, está melhor que muitas regiões. O presidente da ASCON, Daniel Gerhard, destacou a importância de filiarem-se à associação. A associação poderia se fortalecer ainda mais, e com isso teria condições de ter pessoal dando expediente diariamente á serviço dos associados. “Essa reunião foi idealizada para solucionar as dúvidas dos contabilistas sobre as novas ações fiscais que o estado e a receita federal vão fazer junto aos contribuintes. Está havendo muita divergência de valores nas informações que os contadores passam, eles estão querendo antecipar fazendo com que os contadores corrijam estes erros, para que depois não sejam multados”.
Abaixo entrevista com o presidente da ASCON, Daniel Gerhard.

Daniel Gerhard, presidente da ASCON Manhuaçu
Daniel Gerhard, presidente da ASCON Manhuaçu

Jornal das Montanhas – Quais são os principais problemas enfrentados pelos contadores?
Daniel Gerhard – Os principais problemas que temos enfrentado é a demanda do PIS tanto das entidades federais como estaduais, para preenchermos determinados formulários para serem enviados a eles, para fiscalizarem. Um problema maior ainda é que o contribuinte não manda isso no prazo para que o contador o faça, logo muitas vezes o contador manda fora do prazo devido ao atraso do contribuinte ao enviar notas fiscais para os contadores gerarem a guia. A associação tem trabalhado no sentido de trazer a receita federal e a AF para mais junto do contabilista e do contribuinte, para que consigamos resolver os problemas principais da casa, é lógico que nós não queremos fazer nenhuma ilegalidade, nós queremos corrigir aquilo que pode ser corrigido e dar o prazo para que possam ser feitas estas correções.
JM – Fale um pouco sobre as parcerias.
Daniel – Hoje a Associação de Contadores tem parceria com o Banco do Brasil, com o CRC, que faz o tipo de auxílio, de cursos palestras, mandou hoje o seu representante Antônio Baião que está aí representando o presidente Paulo Constantino, a associação está tentando fazer este tipo de parceria, trazendo a AF também, que não podemos chamar de parceria, mas não deixa de ser uma, trazendo à Receita Federal, as pessoas que trabalham nesses órgãos para mostrá-las que a realidade do contador é a mesma do funcionário da receita, pois deve haver paciência e diálogo, e é dialogando que nós conseguiremos acabar com o problema dos dois lados.
JM – Esta fusão dos órgãos é uma coisa nova que tem beneficiado bastante, mas tem trazido algumas dúvidas, fale um pouco sobre isso.
Daniel – Na verdade esta fusão é de 2007, não é tão nova, mas só agora está rendendo frutos, traz muitos transtornos devido à fusão dos programas, um órgão tinha um programa diferente do outro, e quando você vai juntar as base de dados elas dão consistência, então com essas bases de dados, os funcionários que vão gerir isso fazem muita divergência, mas é um período de transição. Desde 2007, e acredito que até 2010, nós estamos em transição de mudança de culturas e de mudanças de fiscalização em todo o país.
JM – Além das reuniões de trabalhos o que mais a ASCON pode oferecer para o contador?
Daniel – A ASCON é uma associação criada para o contador, nós temos hoje uma demanda de associados pequena em relação à quantidade de contadores que nós temos na cidade de Manhuaçu e região. A ASCON tem uma sede, equipada com computador e internet, tudo para que o contador seja atendido da melhor forma possível, logo, se mais contadores se filiassem, mais cresceria a associação. Hoje a associação está trabalhando com um número muito limitado de contadores, que são pessoas que acreditam na idéia e que nosso projeto vá à frente.

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui