Interrupção da BR 262 em Abre Campo pode ter sido por motivação política, segundo Boletim de Ocorrência

46

Cidadão bloqueia BR 262 e Prefeitura de Abre Campo desapropria área e libera o desvio 

Por Devair G. Oliveira e Aloísio Campos vídeo Divino Leonardo.
A Polícia Militar de Abre Campo foi acionada com a informação “de que estaria ocorrendo uma ação de um senhor de nome Isaque, o qual alega ser proprietário/responsável por um lote em uma via de acesso denominada “desvio da br262”, que fica localizada km 96,5 da rodovia BR 262, que corta o perímetro urbano da cidade”.

Segundo relato, o senhor Isaque estaria no local reivindicando “ser o legítimo proprietário do lote, alegando que iria utilizar uma máquina retroescavadeira para fazer uma vala no local de modo a impedir a passagem de veículos no desvio de acesso a BR-262, no trajeto da rodovia em ambos os sentidos, Belo Horizonte MG / Vitória ES. ”

Segundo o Boletim de Ocorrência, “Isaque disse na presença dos militares 2° Sgt Marçal, 3° Sgt Ramaldes e cabo Coelho que já estaria acertado entre ele, Isaque e o candidato a deputado estadual Adriano Alvarenga, prefeito afastado recentemente em razão do pleito eleitoral de 2022, que ele, Adriano Alvarenga, deslocaria até esta cidade no dia 03 de agosto de 2022 para fazer a liberação da via interrompida, posteriormente negou os dizeres durante o registro do BO; ”. Marcio Vitor é ex-prefeito de Abre Campo, destacou no cenário da saúde no município durante sua gestão como prefeito por dois mandatos e por último como Secretário Municipal de Administração, agora candidato a deputado estadual e Adriano Alvarenga, prefeito afastado de Rio Casca, também candidato a deputado estadual. A BR-262 é importante para a economia, especialmente por conta dos dois trechos interditados.

No local estavam “o senhor Isaque, acompanhado de sua mãe e de um irmão nominado Leandro Peres, além de um operador de máquina que foi identificado como sendo a pessoa de Jose Silva de Moura, tendo este confirmado que conduzia a máquina e que esta pertence a empresa Extra Minas Mineração da cidade de Rio Casca, que a pessoa responsável por alugar seria Celinha Stopa; em conversa com Isaque este nos alegou que há meses vem aguardando uma solução de um acordo, que ele Isaque, fez com alguns empresários da cidade de Abre Campo, dentre eles o senhor Alessandro da Terraplanagem Miranda e o empresário Lestiano dono do hotel líder. Que nesse acordo os empresários, inclusive os acima citados, teriam prometido a Isaque o pagamento no valor de R$ 40 mil reais. Segundo Isaque, os empresários também teriam prometido o pagamento da mesma quantia para um outro proprietário de lote chamado Tales, que também possui um lote no mesmo local. Que ainda como parte desse acordo informado por Isaque, os empresários teriam prometido o pagamento da quantia de R$ 100 mil reais para a pessoa de Deon Padirim. Isaque alegou que até o momento não recebeu dinheiro algum desse acordo e que o combinado entre eles teria sido de seis meses e, segundo Isaque, teria vencido na data de 01/08/2022. ”

Segundo consta no Boletim de Ocorrência, “foi explicado a Isaque o enorme transtorno que o fechamento repentino do desvio estava causando no local devido se tratar da única via acessível à rodovia federal BR-262, que diariamente apresenta um imenso fluxo de veículos, inclusive de todas as regiões do país. Isaque disse que sabe dos transtornos gerados, mas que estava decidido a fechar o desvio, mesmo que por um curto período de tempo, pois deseja ser ressarcido financeiramente pelo prejuízo que tem sofrido por não poder fazer nenhuma intervenção em seu lote.

Que gostaria de negociar a situação do desvio há muito tempo, contudo ninguém do órgão federal DNIT o procurou até o momento para resolver a situação e fazer a ele alguma proposta em dinheiro para que ele pudesse permitir a continuidade do desvio passando por seu lote/propriedade.

Que novamente negociamos a liberação da via e mesmo diante das nossas solicitações para que Isaque posteriormente acionasse a justiça para resolver qualquer pendência em relação ao seu lote, passadas mais de duas horas tentando resolver o impasse, ele (Isaque) acabou determinando ao operador da retroescavadeira que fizesse uma vala no local, impedindo totalmente a passagem de veículos no local, fato que gerou insatisfação coletiva dos motoristas que aguardavam para passar, bem como de todos os presentes naquele momento.

Estava presente no local o senhor 1º Ten Rocha, comandante da 272ª Cia de Polícia Militar, responsável pelo policiamento da região, o qual advertiu por diversas vezes o senhor Isaque, informando a ele que a situação de desordem pública que havia sido instaurada no local precisava ser resolvida com a imediata desobstrução da via e que isso não lhe causaria nenhum prejuízo quanto aos seus direitos de propriedade sobre o imóvel.

Que os ânimos no local começaram a ficar exaltados por parte de diversos populares que estavam nas proximidades, o que poderia resultar em grave quebra da ordem pública e risco a segurança de todos os cidadãos presentes.

Que diante da resistência de Isaque, o senhor comandante tenente rocha, em conversa inclusive com o advogado João Lourenco de Miranda Neto, OAB nº 125812, que estava no local acompanhando Isaque, orientou a ele que também pudesse intermediar a situação junto ao seu cliente, a fim de se evitar graves problemas no local, contudo o advogado João Lourenço não estava de acordo que seu cliente permitisse o restabelecimento do desvio no local, alegando que Isaque, por ser o proprietário, poderia fazer a intervenção que precisasse dentro dos limites de sua propriedade, sendo que Isaque apresentou uma certidão do CRI de Abre Campo, matricula 13.683, documentação que segundo o Isaque comprova a sua propriedade.

Após novas negociações, Isaque e seu irmão finalmente acataram a ordem direta para realização da desobstrução da via, que foi realizada por uma máquina do município de Abre Campo que chegou ao local.

Em razão da necessidade de desobstrução imediata da via visando o atendimento das necessidades coletivas, ao interesse público e principalmente a preservação da vida, foi determinado ao cidadão que operava uma máquina do município de abre campo para restabelecer as condições de rodagem da via do desvio, sendo assim restabelecido o transito de veículos no local de forma gradual, inclusive sendo liberado o acesso prioritário da ambulância.

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui