Enchente em minas mobiliza 1.444 homens nos trabalhos

430

de atendimento aos municípios mineiros afetados pelas fortes chuvas
Copasa também trabalha para restabelecer fornecimento
de água em cidades afetadas pelas enchentes
O Corpo de Bombeiros de Minas Gerais colocou um contingente de 1.444 homens em alerta em decorrência da intensificação das chuvas no estado. Desse total, 800 já estão atuando nos municípios mais afetados, no trabalho de socorro às vítimas. Segundo o comandante operacional dos Bombeiros, coronel Celso Novaes Borges, 432 veículos da corporação também foram deslocados para essas cidades e outras 500 viaturas estão prontas para entrar em ação.

Bombeiros e Defesa Civil também ampliaram o monitoramento das quase 700 barragens cadastradas na Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam). De acordo com o coronel Novaes, o monitoramente é importante para evitar o risco de rompimento. Ele disse que desde a semana passada está sendo feito um trabalho preventivo, com a retirada da população ribeirinha nas regiões onde o risco de transbordamento de rios é maior.
Abastecimento de água
Outra prioridade do Governo de Minas é normalizar o abastecimento de água nos municípios onde o fornecimento foi interrompido. O presidente da Copasa, Márcio Nunes, afirmou que até a noite deste sábado (20/12), a situação estará normal em Divinópolis, no Centro-Oeste mineiro. O abastecimento foi interrompido depois que as águas do Rio Piracicaba transbordaram e invadiram a estação de tratamento da Copasa, deixando 170 mil pessoas sem água potável.
Em Cataguases, na Zona da Mata, a previsão é de que o abastecimento esteja regularizado até a madrugada de hoje para amanhã. Em Congonhas, Entre Rios de Minas, Belo Vale e Conceição do Pará, que tiveram o abastecimento parcialmente interrompido, o fornecimento de água estará normal até amanhã. Em Rio Casca, o abastecimento estará normal até a noite de hoje. No município de Arcos, a Copasa já regularizou o fornecimento. Em Muriaé e Ponte Nova, a Copasa está ajudando nos trabalhos de normalização do abastecimento, embora não atue nesses municípios.

Atenção redobrada
Segundo o secretário-executivo da Defesa Civil Estadual, Alexandre Lucas Alves, o comportamento das pessoas durante situações de calamidade é fundamental para evitar acidentes e mortes. Ele aconselhou evitar passar por corredeiras e enxurradas, afirmando que é comum as pessoas ignorarem as força das águas. Ele também pediu paciência aos que tiveram que deixar suas casas e se refugiarem em casas de parentes ou abrigos.
‘É preciso que tenham paciência, aguardem os rios baixarem suas águas, para voltarem para suas casas e restaurarem a sua vida normal. As pessoas que estão em locais isolados, estão em alto de prédio, têm que ter paciência, precisam adotar comportamento de prevenção, evitar passar com carro em enxurradas. Nós perdemos uma vida em Carmo da Mata, porque ele tentou passar no meio de uma corredeira com o carro”, alertou ele.
Segundo o coronel Lucas, os municípios precisam também se conscientizar sobre a importância de terem uma Defesa Civil atuante. “É preciso que cada cidade crie o seu sistema de alerta e alarme, como Caratinga fez e funciona muito bem, e outras cidades também fizeram; que a comunidade seja treinada para conviver com a área de risco, e à medida que os níveis de alerta sejam emitidos, a população seja treinada para adotar comportamento de prevenção e saírem de suas casas antes que aconteçam os problemas”, disse.
Segundo coronel Lucas, existem 603 coordenadorias de defesa civil municipais em Minas. Mas ele afirmou que o ideal o ideal é que todos os 853 municípios tenham a sua defesa municipal organizada, que ela adote ações de planejamento e prevenção.
“Se cada município fizesse isso, com certeza nós não teríamos as 12 mortes que nós tivemos. Infelizmente das 603 coordenadorias de defesa civil, um pouco mais de 100 estão efetivamente funcionando. Caso estivessem, aliviaria o trabalho do Corpo de Bombeiros, da Polícia Militar e, com certeza, nós não teríamos tantas mortes.

1 COMENTÁRIO

  1. Por favor estou vendo na tv jormais que minas está em estado de emergencia.
    por favor vocês poderiam me dizer os nomes das cidades que estão em risco, pois estou pensando em ir morar em minas mas tenho medo agora.

    Por favor aguardo uma noticia.

    Olá Cris,

    Realmente devido as chuvas muitas cidades estão enfrentando problemas, mas quanto ao local para morar o melhor é procurar um local distante das margens do rio para não correr o risco de sofrer com as inundações.

    Obrigado
    Redação

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui