Milhares de peixes mortos no Amazonas e grande mídia silencia

135
Tefé (AM) 30/09/2023 – Uma pesquisadora fazem medição e coleta de tecidos de botos mortos em lago no município de Tefé, no Amazonas. Para o ICMBio, há indícios de que a seca prolongada e a temperatura elevada na região possa ter causado as mortes dos animais Foto: MIGUEL MONTEIRO/INSTITUTO MAMIRAUÁ

Por Devair G. Oliveira
O comportamento da grande mídia deixou o povo totalmente desconfiado antes deste governo ela se comportava de um jeito, hoje ela distorce os fatos, passa pano para proteger o governo que liberou bastante grana para eles, agora a reclamação do povo é: está muito difícil acreditar nessa gente da grande mídia que pensam que são donos do mundo, carcaça de botos foram encontradas no lago Tefé, no Amazonas. Mais de 100 mamíferos apareceram mortos na semana passada

 A ação emergencial de acompanhamento e possível retirada dos botos do Lago Tefé, no Amazonas, encontrou duas carcaças desses animais, informou hoje (2)

O Instituto de Desenvolvimento Sustentável informou hoje que duas carcaças desses animais foram encontradas hoje (2). O Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá, realizou uma mobilização no final de semana após a morte de mais de 100 mamíferos aquáticos, como o boto vermelho e o tucuxi, que viviam no local. No sábado (30), o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) enviou equipes de veterinários e servidores do Centro de Mamíferos Aquáticos (CMA) e da Divisão de Emergência Ambiental, para apurar as causas da mortandade extrema desses mamíferos. Além da seca, a hipótese é que o calor esteja provocando as mortes de peixes e mamíferos na região.

“Seguimos na operação monitorando a temperatura do lago. No dia 28, a temperatura chegou a 39,1°C, caiu para 37ºC, na sexta e 32ºC, no sábado. No entanto, ontem, as 16h subiu para 37,8°C e a gente está muito alerta. Ainda não há avanço maior para saber a causa das mortes, mas a temperatura segue como candidato principal da causa da mortalidade”, disse à Rádio Nacional da Amazonia o integrante do instituto Mamirauá, Ayan Fleischmann.

Segundo Fleischmann, ainda não há atualização sobre o resgate dos animais ainda vivos que estão no lago. Na sexta-feira (29), o Mamirauá lançou um alerta à população que mora nas proximidades do Lago Tefé para evitar o contato com as águas do lago e também o uso recreativo.

Em entrevista ao programa Viva Maria, da Rádio Nacional da Amazônia, a coordenadora do Grupo de Pesquisa em Mamíferos Aquáticos Amazônicos do Mamirauá, Miriam Marmontel, disse, no sábado (30), que esses animais acabam atuando como sentinelas da qualidade da água e são os primeiros a ser afetados com mudanças provocadas no ambiente.

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui