Minas Gerais, Espírito Santo e a BR-262

99

Por Devair G. Oliveira
Segundo o deputado Federal Dr. Mário Heringer existem uma verba destinada aos serviços da BR 262 no valor de R$ 56 milhões de reais, é necessário que se faça uma pressão ao DENIT para que todos os problemas sejam solucionados.

BR-262 foi inaugurada em 1969, é uma rodovia transversal brasileira que interliga 4 estados no sentido Leste-Oeste com 2191 km de extensão Espírito Santo,  Minas GeraisMato Grosso do Sul. É a nona maior rodovia do país, possuindo 2.213 quilômetros de extensão. Começa em Vitória, capital do estado do Espírito Santo, e termina junto à fronteira com a Bolívia, em Corumbá no estado de Mato Grosso do Sul. Percorre 195,5 km no estado do Espírito Santo, 999,8 km no estado de Minas Gerais, 316,7 km no estado de São Paulo e 783 km no estado de Mato Grosso do Sul. O trecho paulista é concomitante com o da SP-310 no trecho entre Nhandeara e Ilha Solteira.

Os obstáculos existem e para tanto devem ser vencidos, as desculpas dos governantes é sempre a mesma e se arrasta há anos a duplicação das BRs 381 e 262. Construídas com curvas muito sinuosas para contornar o relevo montanhoso entre Belo Horizonte e Vitória (ES), as rodovias são um desafio para empresas e governos, o motivo para essa resistência seria o alto custo de duplicação das duas rodovias, construídas com curvas muito sinuosas para enfrentar o relevo montanhoso. Ainda assim, o governo federal pretende leiloar o referido trecho da BR-381 ainda este ano – o estudo para a concessão da BR-262 deve ficar pronto somente em 2025.

O que falta na realidade é boa vontade política, no governo Bolsonaro o processo estava bem adiantado, mas veio o governo Lula e colocou a duplicação em Banho Maria, por não simpatisar pelo governo Zema e por ser um governo que gasta alem dos limites. Penso que essa duplicação só será possível em outro governo.

Reconheço que o repapeamento do trecho urbano de Manhuaçu foi muito bom, pois estava ruim e cheio de buracos.

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

O trecho de Betim a Nova Serrana de 84 km em Minas Gerais, foi duplicado em 2011. 

O trecho de 180 km entre Viana (ES) e a divisa com Minas Gerais serão concedidos em 2020, e a duplicação deve ocorrer até 2040. O trecho entre Viana e o distrito de Victor Hugo, em Marechal Floriano, deve estar duplicado até 2028.[5]

Economia

A rodovia é importante via de escoamento de produtos da agricultura, pecuária e indústria brasileiras. Ainda atuará, futuramente, em conjunto com outros corredores o Corredor bioceânico, que liga Campo Grande-MS até os portos do norte do Chile. Na outra ponta, chega ao litoral do Espírito Santo. Como exemplo em Minas Gerais, a produção de café , de soja, outros grãos e a carne bovina do Mato Grosso do Sul são transportados em boa parte por esta rodovia.

Turismo           

Outro ponto fundamental de grande importância turística, principalmente para o Espírito Santo, que recebe um grande fluxo de pessoas vindas de Minas Gerais em direção às praias capixabas.

No Mato Grosso do Sul, a rodovia beira o Pantanal, sendo também importante via turística.  Em conjunto com o corredor bioceânico que ligará o Brasil com Paraguai, norte da Argentina e norte do Chile, a BR-262 servirá de ligação para vários destinos turísticos: a Entrada das Cordilheiras dos Andes, em Jujuy, Argentina; o Deserto de Atacama, no Chile (ligando a área mais alagada do planeta, o Pantanal, à área mais árida do planeta); e até mesmo às praias do Nordeste.

O Governador do Espirito Santo Casagrande já em algumas vezes assinalou que não é possível esperar a  realização de uma concessão da rodovia para que sejam feitas as obras que a via demanda. “Isto vai demorar muito. Pode até ser feita a concessão, mas antes é preciso que o governo federal faça um investimento público nesta rodovia para aumentar a segurança de quem nela trafega. Primeiro é preciso fazer um investimento, depois vem a concessão. É fundamental que o governo federal aporte recursos”, frisou.

As expectativas, já foram frustradas algumas vezes, o governador Zema e demais lideranças mineiras deveriam engajar em uma campanha nesse sentido juntamente com as lideranças capixabas, sendo assim  a chance de antecipar as obras é bastante satisfatória, caso contrário isso poderá se  arrastar por mais de 15 anos, os dois estados tem que se unir nessa batalha da duplicação da BR 262.

Segundo o Portal Rodovias do Brasil

Foi aprovada a elaboração dos projetos básicos de engenharia para adequação de capacidade da BR-262, no Espírito Santo, que inclui a duplicação e restauração da pista existente em 180,6 quilômetros, entre Viana (ES) e a divisa com Minas Gerais. Foto: Divulgação

Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) autorizou obra; serviços incluirão trecho entre os km 15+900 e a divisa com Minas Gerais

Foi dado o pontapé para a elaboração dos projetos básicos de engenharia para adequação de capacidade da BR-262, no Espírito Santo, que incluirá a duplicação e restauração da pista existente em 180,6 quilômetros, entre Viana (ES) e a divisa com Minas Gerais.

Com investimento de aproximadamente R$ 22,2 milhões, o Dnit irá contratar os serviços para o trecho entre os km 15+900 e 196+500.

Segundo o Dnit, serão desenvolvidos projetos para Juntamente também será elaborado o Estudo de Impacto Ambiental/Relatório de Impacto Ambiental (EIA/RIMA).

Por meio da BR-262, trafega – rumo aos portos capixabas – boa parte do café exportado pelo Estado e pela Região de Manhuaçu, em Minas Gerais. O mesmo acontece com hortifrutigranjeiros que suprem os mercados da Grande Vitória

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui