Qual o problema dessas pessoas?

57

Quantas horas no sofá assistindo à Globo são necessárias para levar um ser humano a esse estado de atrofia emocional?

Percival Puggina

               Minha esperança no Brasil perdeu alguns palmos de amplitude quando li no site do Senado que o placar da pesquisa on line sobre o projeto de anistia do senador Mourão contava 540 mil votos a favor e 532 mil contra. Meu Deus, o que tantos filhos teus têm na mente ou no coração que são capazes de achar de boa justiça sentenças de 14 a 17 anos de prisão para os capturados nos arrastões dos dias 8 e 9 de janeiro de 2023? Passou-lhes pela cabeça que aquelas pessoas – cuja imensa maioria estava pacificamente na praça manifestando opinião num ato de presença – têm família e têm direitos? Que efeitos daninhos produzem nas mentes essa política desajuizada e essa justiça politizada, que tomam para si tanto dinheiro e proteção? E note-se: são os mesmos cidadãos que, de repente, surgem cheios de amor para defender o desencarceramento de bandidos condenados por juízes com a cabeça no lugar!

Esses mesmos que aplaudem com as mãos as condenações em massa, prisões preventivas sem fim, sigilos e espalhafatos do STF afirmam, com a lógica dos cotovelos, que “no Brasil se prende demais”, exceto se os presos forem adversários, bolsonaristas “da direita” … Como consequência, o Brasil, hoje, tem mais presos políticos do que Cuba. Do que Cuba! Devem achar que os companheiros do regime cubano amoleceram; contudo, “hay que endurecerse”, como receitou seu bem amado Che Guevara.

Não lhes ocorre clamar por penas mais graves quando um estuprador de vulnerável é condenado a somente 10 anos de prisão, dos quais apenas uns poucos serão cumpridos em regime fechado.

Ideologia maligna essa que protege criminosos e os reintroduz nas cenas dos crimes enquanto criticam a polícia, se dedicam a assassinar a reputação de gente de bem e combatem tudo cujo Valor se escreva com “V” maiúsculo.

Quantas horas no sofá assistindo à CNN são necessárias para levar um ser humano a esse estado de atrofia emocional?

Mesmo que lhe tenham tomado a esperança, caro leitor, lembre-se de que muitos se expõem para mantê-la viva. Fazem isso por eles mesmos, claro, e por você. Os acontecimentos são meus grandes motivadores. Sempre aprendi deles e neles nutro meu ânimo, aconteça o que acontecer.

Percival Puggina (79) é arquiteto, empresário, escritor, titular do site Liberais e Conservadores (www.puggina.org), colunista de dezenas de jornais e sites no país. Autor de Crônicas contra o totalitarismo; Cuba, a tragédia da utopia; Pombas e Gaviões; A Tomada do Brasil. Integrante do grupo Pensar+. Membro da Academia Rio-Grandense de Letras.

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui