Será que atual situação política aguentará até outubro

59

Acredito que neste mês de maio os três poderes estarão nas 4 linhas

Por Devair G. Oliveira
Desde a posse do presidente Bolsonaro o povo vem sofrendo com os desmandos do STF, foram passando os meses e as pressões aumentaram substancialmente o povo foi para a ruas e clamaram por justiça e as pressões continuaram sobre os patriotas e principalmente sobre o presidente Bolsonaro.
         Nove aliados e apoiadores do presidente Jair Bolsonaro já foram alvos de mandados de prisão pelo ministro Alexandre de Moraes sob suspeitas de crimes cometidos por meio das redes sociais. Entre eles, está o jornalista Allan dos Santos, que ainda não foi preso porque está fora do Brasil, além do caminhoneiro conhecido como Zé Trovão, que estava foragido e se entregou à Polícia Federal. Ataques a ministros do Supremo Tribunal Federal são o principal motivo das medidas.
         Também estão no grupo políticos de grande alcance nas redes, casos do deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) e do presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson. Completam a lista os jornalistas Oswaldo Eustáquio, Sara Giromini, Allan dos Santos, Zé Trovão, Wellington Macedo, Márcio Giovani Niquelatti – conhecido como “professor Marcinho” – e Cássio Rodrigues de Souza, que se apresenta como ex-policial militar.
         Tudo isso foi acumulando e com isso o povo foi compreendendo os acontecimentos, e começaram as manifestações por uma tomada de posição das autoridades, várias manifestações foram realizadas, até chegar no 7 de setembro de 2021, uma multidão de verde amarelo tomaram conta das ruas do país só em Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo mais 5 milhões de pessoas gritavam “Eu autorizo”, o povo esperou que Bolsonaro acionaria o Artigo 142. Sem citar nomes, Bolsonaro disse que a manifestação pró-governo seria um “ultimato” a duas pessoas que estão “usando da força do poder” contra ele. Em Brasília, a avaliação é de que ele se referia aos ministros do STF Luís Roberto Barroso e Alexandre de Moraes.
         Os apoiadores do presidente intensificaram os chamados para os atos após a rejeição da PEC do voto impresso – uma demanda dos bolsonaristas diante de supostas fraudes nas eleições.
          Mesmo após o famoso 7 de setembro os ministros do STF continuaram afrontando o povo descumprindo a constituição, os ânimos continuaram tensos, chega 1º de Maio de 2022 e mais uma vez multidões coloriram as ruas das principais cidades do país vestindo o verde amarelo.
         Veio maio de 2022 com o decreto do presidente Bolsonaro perdoando o deputado Daniel Silveira, com isso a coisa azeda de vez e a queda de braço continua pelo Alexandre de Moraes com mais uma interferência no executivo. Todo o povo brasileiro está ciente que Alexandre de Moraes passou dos limites e sabemos que Bolsonaro não vai recuar e poderemos ter uma intervenção das Forças Armadas para colocar as coisas em seus devidos lugares. Pela primeira vez tivemos as manifestações do ministro da Defesa, general Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, e nesta quinta-feira (5) em que pede ao presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a divulgação dos documentos das Forças Armadas sobre as eleições. Manifestou também o presidente do STM (Supremo Tribunal Militar) conversando com alguns ministros do STF

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui