Silêncio – Por Wanderlúcia Welerson

320

Silêncio…
Permita-se escutar seu coração.
Bate no compasso desordenado da vida.
Ansioso e sem respostas.
Silêncio…
Precisa descobrir seus segredos.
Incógnitas que a pressa não lhe permite observar.
Impedem-lhe o raciocínio.
Silêncio…
É manhã e nada perturba.
Parece calmo sereno.
Lago límpido, onde só se sente o vento.
Silencia…
Escuta,
Sinta-o pulsando harmoniosamente.
Traduzindo quem és.
O que há de verdadeiro em ti.
Ouça-o…
Apenas escute.
Renova-te e lembre-se…
No descompasso que te impõe à vida.
É ele quem sofre.
Lembre-se…
Os caminhos se apresentam.
A escolha é sua.
Nada é imutável.
Escute-o…
A direção existe.
Cabe a você encontrá-la.

Confissão

Gosto de ser mulher,
Menina, mimada
Às vezes, deixando-me ser domada
Mas, senhora absoluta de minhas vontades
Gosto de ser amada, querida
E até me sentir perdida
Chorar por nada
Sensibilizar-se,
Deixando que as lágrimas
Encharquem meu rosto.
Gosto de ter dúvidas
E me mostrar incerta, indecisa
Espontaneamente bela
Mesmo que seja só para mim.
Gosto de sorrir ingenuamente
De mostrar-me frágil
Quando na verdade sei que tenho
Todas as respostas que preciso
Gosto de ser feminina felina
Um misto de desejos
Que apenas eu conheço.

Wanderlúcia Welerson
Sott Meyer

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui