Trump dispara nas pesquisas se nada artificial acontecer ele estará eleito

132

Por Devair G. Oliveira
É complicada a corrida de Joe Biden pela reeleição, seis em cada dez americanos rejeitam a sua gestão, quase metade dos consultados acredita que qualquer republicano seria melhor que o atual presidente.

Seis em cada dez norte-americanos consideram que a gestão de Joe Biden não é boa, uma dificuldade inesperada para o democrata que faz campanha para as eleições de 2024, nas quais procura abrir caminho para permanecer mais quatro anos na Casa Branca.

De acordo com as últimas pesquisas da CNN, apenas 39% dos eleitores aprovam a gestão do presidente anos. O resto acredita que as coisas não vão bem nos Estados Unidos e qualquer republicano com a indicação de seu partido seria bem melhor que Biden em 2024.

Donald Trump lidera as sondagens dentro do seu partido, apesar de todos os obstáculos que são colocados à sua frente, é aquela história que o mundo todo já sabe é o sistema trabalhando para se manter no poder, não só nos Estados Unidos, mas no mundo todo, se os BRICS deixarem. Variados processos judiciais tentam bloquear sua volta, mas se depender da vontade popular ele volta.

67% dos Democratas acredita que o partido deveria escolher outro candidato, por outro lado, 61% dos americanos acreditam que Joe Biden esteve de alguma forma envolvido nos assuntos judiciais do seu filho Hunter Biden na Ucrânia e na China quando este era vice-presidente durante a administração de Barack Obama.

42% dos americanos acreditam que Biden agiu ilegalmente, enquanto 18% estão convencidos de que as suas ações não respeitaram os padrões éticos, embora não tenham sido ilegais.

Donald Trump, por outro lado, e apesar da sucessão de processos judiciais que pairam sobre a sua cabeça, lidera as sondagens dentro do Partido Republicano para chegar à Casa Branca em 2024 à frente do seu principal rival republicano, Ron DeSantis, governador da Florida.

Segundo a última pesquisa do The Wall Street Journal entre os eleitores republicanos, o ex-presidente é a primeira escolha com 59%, um aumento de 11% em relação a abril e uma vantagem sobre o governador da Flórida, que quase dobrou para 46 pontos durante o mesmo período.

Fonte: The Wall Street Journal 

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui