Ações políticas e comerciais mostram estreitamento das relações entre Brasil e Turquia

313
Os ministros das Relações Exteriores do Brasil, Celso Amorim, e dos Negócios Estrangeiros da Turquia, Ahmet Davutoglu, concedem entrevista coletiva

Brasília – O estreitamento das relações bilaterais entre o Brasil e a Turquia pode ser medido por uma série de iniciativas políticas e comerciais que mostram o grau de interesse e comprometimento dos dois governos. Há pouco mais de um ano, por exemplo, o presidente Lula esteve na Turquia em visita oficial. Na época, o hoje presidente Abdullah Gül era primeiro-ministro.

Em maio, quando se realizará a Cúpula da Aliança das Civilizações – entidade criada pela Organização das Nações Unidas (ONU) e atualmente presidida pela Turquia, que passará o cargo ao Brasil – uma missão empresarial brasileira estará em Istambul, para realizar negócios que possivelmente ampliarão a pauta comercial dos dois países.

Essa avaliação é do ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, que recebeu dia (9), no Itamaraty, o ministro turco de Negócios Estrangeiros, Ahmed Davutoglu. Segundo Amorim, o objetivo das reuniões de hoje foi reforçar as relações com a Turquia, que recentemente abriu um consulado em São Paulo. O Brasil também vai instalar um consulado em Istambul. “A Turquia é um país com população de 80 milhões de habitantes e está situada entre a Europa e a Ásia, ou seja, numa encruzilhada de civilizações com as quais mantemos relações amigáveis”, ressaltou Amorim.

Ele citou outros detalhes que mostram o nível do relacionamento entre Brasil e Turquia, entre os quais a forte presença da Petrobras no país. Atualmente, a estatal realiza exploração no Mar Negro, a 4 mil metros de profundidade. Além disso, a Turkish Airlines abriu voo direto para o Brasil, e o fluxo de turistas, nos dois sentidos, tem aumentado.

De acordo com o ministro, existem muitas afinidades entre o Brasil e a Turquia em termos de relações internacionais. ”Temos nos consultado com frequência em relação a muitos temas do Oriente Médio e acabamos de ter um diálogo muito interessante sobre a conciliação entre Israel e a Palestina, um tema que muito nos interessa. O Brasil e a Turquia são membros do G20 [grupo das 20 maiores economias mundiais] e temos participação em muitos outros foros internacionais.”

Amorim destacou que os dois países têm também se ocupado bastante com a questão do Irã, que pretende usar urânio enriquecido para fazer pesquisas. Segundo o ministro, essa questão preocupa a todos os que desejam “manter a paz e um mundo livre de armas nucleares, mas sempre por meio de soluções pacíficas e negociadas”.

O presidente Lula, disse, e o primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan, estiveram rapidamente com o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, em Washington, durante a cúpula de segurança nuclear. “Desde então, acertamos a continuidade do trabalho para trocarmos ideias sobre o assunto”, afirmou Amorim. 

Agência Brasil

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui