Entrevista coletiva do novo comandante do 11º BPM de Manhuaçu Ten-Coronel Luciano Reis

137
Novo Comandante do 11º BPM de Manhuaçu Tenente-Coronel Luciano Correia dos Reis

O bom filho a casa retorna

Por Devair G. Oliveira
O novo comandante do 11º Batalhão de Manhuaçu está na carreira militar a 26 anos, o tenente-coronel Luciano Correia dos Reis, 45 anos, entrou para a corporação no 11º Batalhão de Manhuaçu em 1994. Entre 1995 e 1998 fez curso de formação de oficiais na academia da PM em Belo Horizonte, retornando à Manhuaçu depois de comandar o pelotão de Ipanema até 2005.

Posteriormente comandou a companhia da sede de Manhuaçu e chefiou o setor de inteligência. Em 2013 foi designado para ser o subcomandante do 58º Batalhão de Coronel de Fabriciano e ficou até o final de 2017, quando foi promovido a tenente-coronel e passou comandar o 62º Batalhão de Caratinga desde janeiro de 2018.

Primeiramente é um motivo de muita satisfação, muita alegria, imaginar que em 1994 nós adentramos no pátio do 11º BPM, nosso estimado Sentinela do Caparaó, como soldado e agora voltar como comandante do batalhão é uma realização profissional, isso nos motiva muito mais a fazer um excelente trabalho de gestão aqui no batalhão, uma gestão voltada para resultado, voltado para as pessoas, valorizar muito o nosso público interno que são os militares que estão aí na labuta diária prestando serviço a comunidade diuturnamente, fazendo com que os índices de criminalidade sejam controlados, fazer com que haja um intenso combate ao tráfico de drogas prestando um serviço de qualidade.

Retornando a sua cidade natal

Esse retorno nos faz ter uma responsabilidade maior, pois minha carreira praticamente foi construída no 11º batalhão, daqui sai em 2013 para que pudéssemos montar o 58º Batalhão de Coronel Fabriciano, lá fomos subcomandante por quatro anos, depois fomos comandar o Batalhão de Caratinga ficando até o inicio do ano, e agora o Sentinela do Caparaó o nosso Batalhão, e como eu disse é uma realização profissional como promoções na carreira e o como tenho falado o 11º BPM é quase uma senhora de 60 anos de idade, é uma responsabilidade muito grande, é um dos batalhões tradicionais da Polícia Militar, é um batalhão que se destaca no cenário mineiro, e isso traz responsabilidade não só minha, mas para toda a tropa. A arte de comandar nós temos as parcerias as cooperações assessorias, e aqui praticamente já conhecemos toda a equipe, tanto aqueles que ajudamos em sua formação profissional os novatos, estamos em casa e isso faz nós pensarmos todo dia em novas formas de gestão, queremos trazer para cá também as boas práticas de gestão dos outros batalhões em fim, é momento de trabalharmos muito no crescimento da unidade e a melhoria de qualidade de vida da população.

Desafio diante das boas gestões anteriores

É um desafio muito grande, mas cada comandante tem sua caraterística e suceder os comandantes que aqui passaram como Coronel Henrique, Coronel Rhodes, Coronel Santiago, o próprio Tenente Coronel Franco, a responsabilidade é muito grande, com o coronel Franco passaram por aqui 30 comandantes, cada qual estabelecendo aqui algumas características próprias à história do batalhão, e agora nós queremos fazer parte dessa história como comandante do batalhão é um desafio grande, os indicadores criminais da unidade são bons e devemos trabalhar para melhorar ainda mais, e isso faremos com parceria com a comunidade, com muito trabalho, trazendo as boas práticas de gestão pública aqui para a unidade e tudo aquilo que possamos exaltar e enaltecer o nome da instituição que está diuturnamente trabalhando em prol da comunidade de bem.

Segundo o comandante o principal desafio sempre é o controle do homicídio, pois é o crime que toda a instituição o estado em geral quer os melhores números do Brasil, e a questão das taxas de homicídio é o principal objetivo.
 “Tivemos no final de semana um homicídio em Sacramento houve uma resposta muito positiva por parte dos militares, prisões de traficantes e apreensão de uma quantidade considerável de drogas, esse é o principal desafio, e a impressão de um batalhão organizado como eu disse é um batalhão que funciona como um relógio, já com quase 60 anos nas mesmas rotinas e um batalhão organizado faz parte do nosso trabalho”. Frisa o comandante.

Caratinga e Manhuaçu

Perguntado sobre as características de Caratinga e Manhuaçu, já que o tenente-coronel Luciano Reis comandou a unidade de Caratinga. Segundo disse, há muita semelhança entre as duas cidades e poderá adaptar em Manhuaçu o que de bom foi executado lá, lembrou a título de informação que no primeiro ano de comando em Caratinga conseguiram diminuir bastante o índice de violência.

O conhecimento da tropa ajuda bastante para um comandante e isso vai ser facilitado para o novo comandante, pois passou longos anos na unidade que agora irá comandar.
 “Boa parte dos militares que estão aqui já conhece nosso trabalho, trabalhamos aqui como aspirante, tenente, capitão, comandamos a Cia 72º, na época era responsável por dois municípios, à tropa tem bastante conhecimento do nosso trabalho e eles podem esperar de um comandante que se preocupa com eles em todos os aspectos, profissional, pessoal, cada um tem uma forma de trabalhar e reconhecer aquilo que é bom e trazemos para cá uma gestão muito próxima dos militares uma gestão de conversar individualmente com todos os militares temos uma boa prática o papo com o comandante trazer os militares para conversar com o comandante de forma individualizada e tivemos a satisfação de resolver vários problemas de militares e isso traz uma tranquilidade para que ele preste um serviço de qualidade para a comunidade, pois se o militar não está bem em sua casa algum aspecto pessoal, ele não terá oportunidade de prestar um bom trabalho, então eu acredito que a gestão de pessoas que vamos colocar em prática aqui no batalhão ficará marcada e é uma forma de motivar o militar de cada dia prestar um excelente serviço”. Pontuou.

A Polícia e a comunidade  

Falando sobre a proximidade que deseja com a sociedade ele afirmou que não têm como a Polícia Militar trabalhar sem ter uma parceria com a comunidade, já esteve em contato com algumas instituições da sociedade organizada, o Consep, Ongs, Orgão de defesa Social.
 “A PM não é uma instituição isolada, ela faz parte de uma engrenagem que a PM participa, temos também um trabalho de proximidade com a sociedade e também um trabalho voltado para o Conselho de Segurança Pública, que é muito importante, não tem como a PM trabalhar isolada neste processo que é o controle da criminalidade”. Comparou

Manhuaçu possui uma área total de 628,318 km²

São vários distritos e uma extensão rural considerável, é um desafio e tanto para um 11º BPM que tem toda uma região para policiar, explicando essa complexidade o comandante citou como exemplo um Pelotão em Realeza que cuida do distrito da zona rural e foi fortalecido o trabalho na zona rural com os cafeicultores, fazendo o Georreferenciamento das propriedades, fazendo contatos diários com o proprietário rural.
 “Temos uma forma de gestão nesta área, pois Caratinga também tem uma área rural muito grande, traremos para cá esse trabalho próximo ao cafeicultor e levando segurança ao homem do campo para que ele possa produzir o café que é a mola mestre da economia da nossa região, vamos aperfeiçoar os militares para que a cada dia eles possam prestar esse serviço de qualidade, posso falar ao homem do campo que Polícia Militar por meio da Patrulha Rural ela incessantemente está voltado para este trabalho de forma levar segurança à zona rural”. Explicou.

Falando de nova tecnologia o comandante Luciano disse que o batalhão recebeu equipamentos tecnológicos adquiridos pelo comandante anterior que facilitará muito o trabalho, agora é colocar estes equipamentos em operação, tanto no controle de combate a criminalidade, como nas ações preventivas. Finalizando o comandante recebeu as boas vindas dos repórteres presente, e o mesmo agradeceu a parceria com a imprensa. 

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui