Justiça decreta prisão preventiva de PMs do caso da morte de líder do AfroReggae

182

A Justiça Estadual decretou hoje (23) a prisão preventiva do cabo Marcos de Oliveira Salles e do capitão Dennys Leonard Bizarro. A decisão é da juíza Yedda Christina Ching-San Filizzola Assunção, da Auditoria da Justiça Militar.

Os dois PMs não teriam socorrido o líder do grupo AfroReggae Evandro João Silva, que morreu vítima de assalto, na noite do último domingo (18). Em imagens registradas pelas câmeras de segurança de lojas próximas os policiais aparecem abordando, sem efetuar a prisão, os dois supostos do crime, além de recolherem o casaco e os tênis de Evandro.

Em nota divulgada pelo TJ, a juíza ressaltou que há indícios de alta periculosidade dos indiciados, “que se mostraram brutais e descompromissados com a vida de outros homens, em violação não apenas ao seu juramento de policial militar, mas em violação aos mais fundamental dos direitos”.

Yedda Christina classificou de indispensável a prisão dos policiais para a garantia da ordem pública. Ela citou em sua decisão o fato deles terem identificado os criminosos, mas sem efetuar a prisão. Os delitos estariam previstos nos artigos 53, sobre a participação em crime, e 242, sobre a prática de roubo, do Código Penal Militar.

Com a decretação da prisão preventiva, os dois policiais devem ser conduzidos presos para o Batalhão Especial Prisional, por tempo indeterminado, até o fim do inquérito.

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui