Ônibus capota depois de batida com Corolla na BR-116

404

onibusÔnibus capota depois de batida com Corolla na BR-116

   Um ônibus da Viação São Geraldo capotou na madrugada desta quinta, 05, no km 578 da BR-116, próximo a São Pedro do Avaí. O veiculo saiu da pista depois de ser atingido por um Toyota Corolla que viajava no sentido e fazia uma ultrapassagem. Oito passageiros e os motoristas dos dois veículos foram atendidos pelo Corpo de Bombeiros com lesões leves e escoriações.
   O ônibus saiu de Feira de Santana (BA) e se dirigia a Campinas (SP). O motorista Aldo Teodoro Guimarães Filho, 44 anos, assumiu a direção em Governador Valadares. Ele contou que viu o Corolla MPH 8796/Muriaé trafegando em sentido contrário, na contramão, fazendo uma ultrapassagem. “Tentei desviar, jogando o ônibus para o acostamento. O Corolla ainda atingiu a lateral do veiculo e aí não tive como evitar que saísse da pista”, contou aos agentes da Policia Rodoviária Federal. O ônibus capotou por uns 20 metros numa ribanceira e parou com as rodas viradas para cima. Uma árvore impediu que ele rolasse mais uma vez e atingisse um pequeno ribeirão.
   O acidente aconteceu por volta de 3:30 da madrugada. Equipes do Corpo de Bombeiros de Manhuaçu foram para o local. Os oito passageiros do ônibus, sendo duas crianças, e o motorista conseguiram sair e ficaram esperando atendimento no acostamento. O motorista do Corolla Elizângelo Araújo de Carvalho, 31 anos, comerciante em Muriaé, também não sofreu lesões.

Passageiros:

Nair Joir Botelho Cardoso
Nayane Joir Cardoso
Raimunda Gomes de Jesus
Maria Neuza Teixeira Jardim
Otávio Marcelo da Silva
Hilton da Silva Santos
Emanuele Santos Jardim de Matos
Tatiane Santana Silva

Promotora de vendas sequestra e espanca ex-empregada  

Cachoeiro de Itapemirim – Mais um caso de violência contra a mulher foi registrado ontem em Cachoeiro de Itapemirim. Desta vez, duas mulheres são acusadas de agressão e sequestro. O crime ocorreu pela manhã e as duas foram presas no início da tarde pela Polícia Militar.
   A promotora de vendas Rosemery Miranda Guimarães, 37 anos, residente no bairro União, e a babá Márcia Moraes Tavares da Silva, 31 anos, residente no bairro Paraíso, sequestraram e espancaram a empregada doméstica Graziane Martins de Lima, 28 anos, residente no bairro União.
   De acordo com informações da titular da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), Ancila Zanol, as duas seguiram a vítima quando ela seguia para o trabalho, no bairro Independência. Ao passar por uma rua com pouco movimento no horário, Rosemery, que conduzia um Fiat Pálio, de cor cinza, placa JWN 8657, subiu com o veículo em cima da calçada, e usando a força, jogou a doméstica dentro do carro, onde também estava Márcia, e seguiu para o município de Alegre.
   Rosemery levou Graziane até o lixão do município. Ao chegarem no local, retiraram a vítima de dentro do veículo e ela foi espancada com chutes e pontapés. A acusada, que dizia a todo o momento que iria matar a vítima, foi surpreendida por catadores que lixo que estavam no local e viram a agressão.
   Rosemery e Márcia entraram no veículo e fugiram deixando Graziane caída no lixo. Os próprios catadores acionaram a polícia que foi até o local.
   A vítima foi conduzida até a Delegacia de Alegre, onde foi ouvida pelo titular Sebastião Silva Borges. O delegado fez contato com a polícia de Cachoeiro de Itapemirim, que com as informações localizaram as duas acusadas na Avenida Francisco Lacerda de Aguiar, próximo a um posto de gasolina.

 Traição motivou espancamento

   Na Delegacia de Defesa da Mulher, Rosemery contou não estar arrependida do que havia feito, pois Graziane, segundo ela, mantinha um relacionamento amoroso com seu marido. Após uma acareação, ela mudou o depoimento dizendo que não sequestrou a vítima, e que ela entrou no veículo por vontade própria.
   Márcia não revelou à polícia se recebeu algum dinheiro de Rosemery para ajudá-la no crime, mas em nenhum momento manifestou estar arrependida por ter ajudado a amiga a agredir a doméstica. A promotora de vendas contou que vai matar Graziane após sair da cadeia.
   Graziane trabalhou durante cinco meses para Rosemery como empregada doméstica e saiu do emprego há quatro meses. Desde essa época, a promotora de vendas começou a acreditar no romance dela com o marido.
   Rosemery e Márcia foram autuadas em flagrante por sequestro, ameaça, agressão e tentativa de homicídio. Rosemery vai responder ainda por ter fugido com todos os documentos da vítima. De acordo com a delegada, a pena mínima para esse tipo de crime é de 15 anos de prisão.

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui