Preso homem suspeito de traficar armas da Bolívia para facções criminosas do Rio

212
fuzil AK-47
fuzil AK-47

A Polícia Civil do Rio de Janeiro prendeu nesta semana um homem suspeito de ser um dos maiores fornecedores de armas para facções criminosas nas favelas cariocas. Segundo a polícia, Antonio Jorge Gonçalves, conhecido como Tony, comprava armas na Bolívia e as trazia ao Rio de Janeiro, por meio da fronteira entre Corumbá, em Mato Grosso do Sul, e a cidade boliviana de Puerto Suárez.

O armamento era trazido por Minas Gerais e entrava no Rio de Janeiro pela rodovia BR-040 (Rio-Juiz de Fora). Caminhões, carregados com produtos variados, traziam fuzis, metralhadoras, granadas e pistolas do Exército boliviano, segundo a Polícia do Rio.

Tony estava sendo investigado pela Delegacia de Repressão a Armas e Explosivos fluminense há dois anos. A polícia acredita que ele tenha entregue, no último mês, 39 fuzis para criminosos do Rio de Janeiro. As pistolas eram negociadas entre US$ 600 e US$ 900 (entre R$ 1.200 e R$ 1.800) e as metralhadoras eram vendidas por R$ 30 mil. O fuzil AK-47

chegava a custar R$ 60 mil para os criminosos.

O suspeito morava em Caldas Novas (GO), cidade localizada na rota do tráfico de armas, mas foi preso dentro de um shopping em Campo Grande (MS), no último domingo (5). Na segunda-feira (6), a polícia prendeu duas pessoas na Favela do Beltrão, em Niterói, apontadas como sendo as responsáveis pelas finanças de Tony.
Fonte:Agência Brasil

1 COMENTÁRIO

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui