Fernando Henrique participa de cerimônia de 15 anos do Plano Real

166
Brasília - O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso fala à imprensa após cerimônia no Congresso Nacional em comemoração aos 15 anos do Plano Real Foto: Antonio Cruz/ABr
Brasília - O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso fala à imprensa após cerimônia no Congresso Nacional em comemoração aos 15 anos do Plano Real Foto: Antonio Cruz/ABr

Da redação do Jornal das Montanhas Online

Brasília – O Congresso Nacional fez hoje (7) uma sessão solene em homenagem aos 15 anos do Plano Real, criado durante governo de Fernando Henrique Cardoso (PSDB-SP). O plenário contou com a presença de parlamentares e autoridades tucanas, como o governador de Minas Gerais, Aécio Neves, e a do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius, alvo de denúncias de corrupção em sua gestão.
Todos ressaltaram que o Plano Real trouxe estabilidade ao país e deixou para trás a inflação vivida nos anos 80 e parte dos 90. “No ano anterior ao Plano, tivemos uma inflação de 5.700%”, disse o líder do PSDB na Câmara, José Aníbal (SP).
O líder do partido no Senado, Arthur Virgílio (AM), lembrou os planos anteriores ao real, como o cruzado, cruzado Novo e collor. “Todos não passaram de ações paliativas”, disse.

Após a cerimônia, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse que o Senado está diferente de sua época. Segundo ele, um Congresso improdutivo ressalta a divulgação de “detalhes constrangedores” dos parlamentares.

Questionado se o Senado estava diferente do tempo em que foi senador, FHC concordou. “Mudou. Pelo que vejo nos jornais mudou muito. Na época que fui senador, tínhamos um debate mais vivo e de ideias. Hoje em dia, tem preocupação com detalhes constrangedores”, comentou.

FHC disse que é evidente e todos concordam que o Congresso está pouco produtivo e isso faz com que outras coisas fiquem mais importantes. “Nisso [Congresso pouco produtivo] não há dúvidas, todos sabem. Mas é preciso ter uma agenda e propostas. Quando o Congresso fica menos ativo, acontece que as questões que não deveriam ser as mais importantes se tornem as mais importantes”, argumentou.
Congresso comemora 15 anos do Plano Real, numa cerimônia que alguns senadores não estavam muito a vontade principalmente o Presidente Sarney, mas desta vez a mídia está mais aprimorada temos a internet que ninguém pode manipular são milhares de páginas espalhadas por todas as cidades e isso tem funcionado muito bem, podem até manipular um canal de TV, uma revista, alguns jornais, mas a internet está mostrando como fiscalizar essa gente pela internet. Sarney, não deve suportar a grande pressão, mesmo que o Lula diz que não vê crise no Senado, mas ‘divergência’ Em reportagem, ‘Financial Times’ destaca crises no Congresso brasileiro

O ex-presidente voltou a reclamar do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que, na avaliação dele, não reconhece os benefícios do Plano Real e do governo tucano para os avanços do país.
“Eu seria injusto com ele [Lula] se dissesse que ele está apenas surfando a onda do Plano Real. Ele usou [o plano] e não reconheceu. Até agora, não disse uma palavra sequer sobre o Real e tudo o que fizemos no meu governo que funcionou em benefício para o Brasil. Eu não quero fazer o que o PT fez comigo. Ele seguiu quase tudo na política econômica e também fez as coisas dele. Ele tem que entender que uma nação não é feita por um homem, mas é uma construção”, lamentou o ex-presidente.

Apesar da reclamação pelo não reconhecimento por parte de Lula, FHC disse que o “Brasil está avançando”.
Logo cedo, ao chegar no Congresso, Fernando Henrique disse que não queria falar sobre a crise do Senado. “Em casa de enforcado não se fala em corda,” disse. Ele também admitiu estar “um tanto perplexo” com a onda de denúncias.

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui