Greve na educação MG

194

A greve dos servidores estaduais da educação foi deflagrada nesta quinta-feira, 8 de abril. Segundo o Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG), Minas tem o 8º pior salário do país. Nesse sentido, uma das principais reivindicações do movimento é a adoção do piso nacional, atualmente em cerca de R$ 1.312,00. O Estado paga R$ 935,00, que, segundo o Sindicato, não é o piso, mas um teto salarial, por corresponder ao total da remuneração.

Pisos e tetos à parte, é ano eleitoral, inclusive no novíssimo Palácio Tiradentes, recém-inaugurado por Aécio e repassado às mãos de Anastasia, que tentará nele permanecer. Para tanto, o atual governador adotará a velha (e quase sempre frutífera) receita das inaugurações.

De bica d’água dos tempos coloniais ao maior vão livre da arquitetura mundial, inaugura-se de um tudo na busca por determinados cargos.

Escolas, por exemplo, tem um excelente potencial “inaugurativo” e “arrebanhatório”. Aécio sabe bem disso. O professor Anastasia, talvez até melhor.

Pois veja você, caro leitor, que o governo de Minas acaba de concluir processo de contratação de uma empresa que produzirá, justamente, placas para inauguração de escolas.

São previstas, segundo o contrato, a confecção de 1.200 placas, a um custo total de R$ 426.725,00. Ou seja, R$ 355,60 por placa.

E veja só como, ironicamente, o valor de cada placa é bem próximo à diferença entre o piso nacional de R$ 1.312,00 e o atual piso-teto de R$ 935,00. Entre um e outro, R$ 377,00.

Daria até para os servidores comprarem uma plaquinha igual. E ainda sobraria algum.

Mas não é o caso. Afinal, reajustes salariais ainda não são passíveis de inaugurações.

A propósito, você sabe quanto recebeu, em 2009, a E.E. Dr. Cyro Goes, que teve a sua reforma e ampliação inauguradas pelo Anastasia na foto acima? A fantástica quantia de R$ 3.730,00 para a reforma, mais R$ 16 mil em carteiras escolares, mais R$ 1.258,00 em equipamentos e outros R$ 11.699,11 não especificados pelo governo em página própria. No total, menos de 8% do investimento de governo… em plaquinhas. 

Heitor Diniz
Jornalista
Belo Horizonte/MG

2 COMENTÁRIOS

  1. Eu gostaria de falar que a escola E.Cordovil Pinto Coelho as pessoas que fazem serviços gerais,professores,etc podia receber 900,00 por mês. E precisa de uma reforma geral mais salas de aula mais professores.Reformar a parte de dentro e fora dessa escola por que se nao reformar nós ficaremos muitooo tristes, a gente precisa disso..

  2. e uma vergonhoso o salario do funcionalismo publico em Minas Gerais. Abandonar essas Minas Geraise é uma opçao menos sofrível do que aguardar reconhecimento de nossos lideres politicos.aqui pode-se ir para o ES. AGUARDEM AS ELEIÇOES 2010…

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui