Líder tucano vai apresentar denúncia ao Conselho de Ética contra presidente do Senado

164
Brasília - O líder do PSDB no senado, Arthur Virgílio, disse que as denúncias publicadas pela revista IstoÉ contra ele são uma forma de calá-lo Foto José Cruz/ABr
Brasília - O líder do PSDB no senado, Arthur Virgílio, disse que as denúncias publicadas pela revista IstoÉ contra ele são uma forma de calá-lo Foto José Cruz/ABr

Brasília – O líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM) apresentou há pouco uma denúncia contra o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), em virtude da participação de um neto de Sarney em uma empresa autorizada a trabalhar com crédito consignado na instituição.

A intenção de Virgílio é de que a denúncia seja assinada por outros partidos e se transforme em uma representação contra Sarney para ser apresentada ao Conselho de Ética.

Como a denúncia foi feita por um parlamentar, o Conselho de Ética pode decidir por acatar ou não a sugestão de abrir uma investigação contra Sarney. O líder tucano disse que levará a denúncia amanhã (30) à reunião de líderes e ao seu partido, pedindo que seja acatada.

A denúncia foi feita em razão da suposta facilitação de Saney para que seu neto José Adriano Cordeiro Sarney trabalhasse, por meio da empresa Sarcris, com empréstimos consignados – com desconto em folha – a servidores do Senado. “Se ele [o neto] é tão competente, por que ele não foi trabalhar em qualquer banco? Minha filha é jornalista e está desempregada.”

Virgílio afirmou, ainda, que pedirá uma investigação sobre outras denúncias que recaem contra Sarney, desde a utilização de auxílio-moradia de forma irregular, nomeação de parentes para trabalhar no Senado até a prestação de serviços particulares por servidores da instituição.

O senador também pediu o retorno de todos os servidores da Casa que estão emprestados a outros órgãos e a devolução de funcionários de fora que estão cedidos ao Senado. Virgílio reivindicou que seja feito um recadastramento de todos os servidores, efetivos e comissionados, para que se saiba quem, no caso destes últimos, os indicou, a lotação e os serviços que eles prestam.

Fonte Agência Brasil

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui