Serra diz que se for convidado vai ao Senado explicar mínimo de R$ 600

173

Priscilla Mazenotti
Repórter da Agência Brasil

Brasília – O PSDB vai trabalhar para que o salário mínimo seja reajustado para R$ 600, e não R$ 545 como quer o governo. A determinação veio do ex-governador de São Paulo José Serra, que participou de reunião da bancada na Câmara.

“Um mínimo de R$ 600 é factível e importante, sobretudo numa época em que a inflação de alimentos está aumentando”, disse. “A proposta é para termos um mínimo menos indecente do que é hoje”, completou acrescentando que, se for convidado, irá ao Senado apresentar sua proposta para o novo mínimo, como sugeriu o senador Itamar Franco (PPS-MG).

Durante discurso na reunião da bancada, Serra pediu que a oposição trabalhe unida e fiscalize de perto o governo de Dilma Rousseff. Para ele, os parlamentares têm a função primordial de ir a público denunciar irregularidades. “A oposição faz bem para o governo. Ela fiscaliza, denuncia erros, cobra promessas. Queremos uma oposição atuante e bem preparada”, comentou.

Serra ainda sugeriu um décimo primeiro mandamento aos dez já existentes no partido: “Não atacarás seu companheiro de partido para não servir ao adversário”.

O governo aceita aumentar o salário mínimo para R$ 545 e promete o envio ao Congresso de uma política de valorização do mínimo até 2014. A proposta mantém as atuais regras de reajuste com base na variação da inflação do ano anterior e no crescimento do Produtor Interno Bruto (PIB) de dois anos antes. As centrais sindicais e a oposição falam em algo entre R$ 565 e R$ 600.

Ao fim da reunião, José Serra seguiu para almoço com senadores do partido.

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui