Toninho Gama apresenta reivindicações ao vice-governador

260
federaminasanastasia004
O vice-governador Antônio Anastásia, a presidente da Associação Comercial de Campanha, Cleide Isabel, e o presidente eleito da Associação Comercial de Ipatinga Gustavo Augusto de Ataíde Souza, com o presidente da Aciam e da Câmara de Manhuaçu Toninho Gama.

O Presidente da Associação Comercial, Industrial e de Agronegócios de Manhuaçu (Aciam) Toninho Gama participou de audiência promovida pela Federaminas com o Vice-governador de Minas Gerais Antônio Anastasia, em Belo Horizonte, nesta terça, 02. Ele apresentou reivindicações da cidade de Manhuaçu, especialmente do ponto de vista empresarial.
Toninho Gama abriu sua exposição falando da questão da cafeicultura. O dirigente da Aciam ressaltou as reivindicações dos cafeicultores, entregues a Anastásia durante o simpósio de cafeicultura. O vice-governador explicou que o Governador Aécio Neves reuniu-se com o Ministro da Fazenda Guido Mantega e que o governo federal vai aceitar o pagamento de parte da dívida dos cafeicultores com a União, de cerca de R$ 1 bilhão, em sacas de café. O pagamento será de 5% da dívida, a cada ano, em um período de 20 anos.
O governo federal irá realizar leilões de opção de compra de café. O preço, que será anunciado pelo Ministério da Agricultura, ficará entre o praticado atualmente no mercado e o reivindicado pelos produtores, cerca de trezentos reais.
A ampliação do pelotão do Corpo de Bombeiros para uma companhia foi reivindicada pelo presidente da ACIAM. Toninho ressaltou a questão das rodovias e o alto índice de acidentes e Anastásia explicou que a demanda já foi entregue ao comando do Corpo de Bombeiros.

federaminasanastasia008
O vice-governador Antônio Anastásia com o Presidente da Federaminas Wander Luis e o presidente da Aciam Toninho Gama

REGIÃO DE PLANEJAMENTO
Toninho Gama também ponderou com o vice-governador a reorganização das regiões de planejamento de Minas Gerais. Atualmente são doze macrorregiões. “Nossas características são muito distintas, por exemplo, das demandas de Governador Valadares e Juiz de Fora. Como estamos na divisa da Zona da Mata com o Leste Mineiro, solicitamos que seja feita uma revisão”, explicou.
Anastásia concordou com a reivindicação e citou outros exemplos no estado. Segundo ele, a característica do estado é organizar cada região com estrutura para que os investimentos aconteçam. “Já solicitei à Fundação João Pinheiro uma proposta de reorganização das regiões de planejamento do estado”, afirmou.
A delegação de várias entidades do Sistema Federaminas, coordenada pelo presidente Wander Luis Silva, apresentou ao vice-governador do Estado, Antônio Augusto Anastasia, diversas reivindicações de interesse das empresas e da economia dos municípios. A comitiva também visitou o presidente do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), Paulo Paiva, instituição que tem as Associações Comerciais como principais parceiras na disseminação de seus financiamentos entre as empresas mineiras.
Na reunião foram abordados os reflexos negativos da crise econômica global sobre a economia. O pleito das associações se refere a acesso desburocratizado a recursos do BDMG, como Fundese, Giro Fácil e outros programas e linhas de crédito. Anastásia achou razoável o pedido. “Se em momentos de calamidade, temos programas do tipo, a crise também pode ser considerada um fato motivador”, afirmou.
Outro tema foi o prazo de entrega dos arquivos EFD (Escrituração Fiscal Digital) e, principalmente, o Sistema Público de Escrituração Digital (Sped), projeto ambicioso que vem sendo desenvolvido pelo fisco e que obriga empresas, por ora as maiores, a entregarem toda a sua contabilidade em arquivos digitais, eliminando o uso de papel e a entrega de declarações e obrigações acessórias. A novidade está alterando a rotina das empresas e dos escritórios de contabilidade. Os dirigentes estão preocupados com a falta de condições para os empresários se adequarem.
Carlos Henrique Cruz

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui