81,55% dos participantes do PCT param de fumar

163

Com a proposta de levar o Programa de Cessação do Tabagismo (PCT) aos servidores estaduais da Região Metropolitana de Belo Horizonte e municípios de Uberlândia, Sete Lagoas e Divinópolis em 2012, a Superintendência Central de Perícia Médica e Saúde Ocupacional, da Seplag, avalia como positivos os resultados obtidos com o projeto-piloto, implantado na Cidade Administrativa. Dos 106 servidores que participaram do piloto, 81,55% conseguiram parar de fumar. Durante um ano eles serão acompanhados pela equipe coordenadora do programa e, apenas após esse período, poderão ser oficialmente considerados ex-tabagistas.

Paralelamente à implantação do programa, foi disponibilizada na internet uma pesquisa que visa identificar o perfil dos servidores públicos quanto ao tabagismo. Do total de 439 tabagistas que responderam a pesquisa, 53% afirmaram o desejo de parar de fumar, mas ainda não decidiram quando, e 43% se mostraram decididos a abandonar o cigarro. Apenas 4% responderam não querer parar. A iniciativa do programa de cessação do tabagismo foi avaliada como ótima ou boa por 99% dos tabagistas participantes da pesquisa.

Questionados sobre o hábito de fumar após a mudança para a Cidade Administrativa, 55% foram categóricos em afirmar que diminuíram o número de cigarros e 45% avaliaram que nada mudou. Como razão da diminuição, 72% apontaram como distantes os locais onde é permitido fumar; 15% afirmaram que aproveitaram a mudança de ambiente de trabalho para avaliar que seria um ganho para a saúde e 13% não consideraram a questão.

O programa

O projeto-piloto do Programa de Cessação do Tabagismo foi lançado em 31 de maio, Dia Mundial sem Tabaco, junto aos servidores da Cidade Administrativa, com uma palestra motivacional. Posteriormente, foram formados os grupos de terapia cognitivo-comportamental com os tabagistas que se interessaram em participar, conduzidos por um médico e um psicólogo, responsáveis por dar o suporte para os servidores durante o processo de cessação do tabagismo.

Mediante parceria firmada com a Secretaria de Estado de Defesa Social, foi possível fornecer aos participantes do programa medicação que auxilia no processo de cessação do tabagismo.

Segundo a diretora da Superintendência Central de Perícia Médica e Saúde Ocupacional, Mirelle Queiroz Gonçalves, o programa trará diversos benefícios aos servidores e ao próprio Estado, do ponto de vista da saúde e, também, econômico. Segundo a Organização Mundial de Saúde, o tabagismo ativo é a principal cauda de mortes evitáveis no mundo e estudo da Fundação Oswaldo Cruz apontou que o cigarro é responsável por um prejuízo anual de R$ 338 milhões ao sistema público de saúde.

 

Agência Minas

Fundação Cristiano Varella 728

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui