Ações de combate à dengue movimentam Belo Horizonte e Nova Lima

169
População trocou materiais que acumulam água por caixas de leite integral

Mais uma parceria entre a Secretaria de Estado de Saúde (SES), a Assessoria para Assuntos de Vilas e Favelas, da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), e o Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR) contribuiu para que mais bairros de Belo Horizonte entrem na guerra contra a dengue. Durante esse sábado (23), 18 mil litros de leite foram trocados por materiais que podem acumular água, nos bairros Coqueiros e Pindorama, região Noroeste de Belo Horizonte. Os moradores se mobilizaram e durante todo o dia levaram pneus, latas de alumínio e garrafas pet, que fizeram parte da troca e serviram de estímulo para que possíveis criadouros do mosquito não permaneçam nas residências.

Morador do bairro Coqueiros há mais de 40 anos, Jerson Dias da Silva reuniu seus filhos e netos e juntos levaram de carro todo material que recolheram em casa. “Muitas vezes vamos guardando objetos e não temos noção do que realmente estamos acumulando e do perigo que isso pode causar. Essa ação, além de oferecer um benefício social, também nos trouxe informações de saúde, e é por isso que estamos unidos na batalha.”

Foram instalados dois locais de trocas. Um na Escola Municipal Padre Edeimar Massote, no bairro Coqueiros e o outro no Centro Integrado de Atendimento ao Menor, no bairro Pindorama. Durante a atividade, as pessoas formavam filas para realizar a troca e receber informações de como combater o mosquito.

Superando expectativas

O diretor de Projetos Esportivos e capacitação juvenil da Assessoria para Assuntos de Vilas e Favelas, Armando Salum, afirmou que os resultados do evento foram acima do esperado. A estimativa de público superou nossa expectativa. Com a ação, somente no bairro Pindorama recolhemos três mil quilos de pneus.

Todo o material recolhido como latas de alumínio, garrafas pet e pneus foram doados para o Centro Mineiro de Referência em Resíduos e servirão de matéria prima para diversos produtos feitos a partir da reciclagem.

Balanço Geral em Nova Lima

Ainda no sábado (23), em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), muita diversão, prestação de serviços e mobilização marcou mais uma edição do projeto Balanço Geral nos Bairros. O evento, promovido pela TV Record Minas, em parceria com a SES, contou com diversas atividades de ação humanitária e recreativas.

A SES deu suporte ao evento com a presença do Dengômetro, espaço de convivência e de acesso às informações sobre a dengue; do Dengue Móvel, caminhão que troca latas, garrafas pets e pneus pelo leite integral Itambé; e com o DengueVille, um aplicativo para as redes sociais que ensina como combater, de forma lúdica, o mosquito da dengue e evitar a doença.

Maria de Fátima Santos, 55 anos, moradora do bairro Santa Rita, trocou 360 latinhas de cerveja e refrigerante por 36 litros de leite Itambé. “É muito bom, a gente aprende e faz economia no gasto em casa”, elogiou.

As trocas pelo Dengue Móvel foram endossadas também pela Prefeitura de Nova Lima, que destacou a importância da ação para a prevenção da doença e a preservação do meio ambiente. “Isso incentiva as pessoas a contribuírem com o meio ambiente e, ao mesmo tempo, com a saúde, ao prevenir a dengue”, analisou Daniela Reis, 28 anos, funcionária da Vigilância Epidemiológica da Prefeitura de Nova Lima.

O DengueVille também chamou a atenção de quem passava pelo evento. O menino Lucas Gabriel Lopes Souza, de 7 anos de idade, exibiu com orgulho a medalha de prata que conquistou no jogo. “Joguei o DengueVille e ganhei o 2ª lugar. O jogo é muito legal!”, entusiasmou-se. A mãe do Lucas, Vânia Ferreira, 42 anos, trocou pets, latinhas e dois pneus por 40 litros de leite. “Além de combater a doença, a gente leva para casa os leites e faz economia”.

Parceria musical

Durante as exposições musicais, o grupo de samba Ty Kerê, parceiro da SES na guerra contra a dengue, apresentou a música “Pra combater a dengue”, que embalou e engajou o público a combater a doença. Segundo Vagner de Oliveira Pereira, produtor fonográfico do conjunto, a música pode ser um meio muito eficiente para a mobilização social. “A canção não poderia ser melhor. É popular, de fácil entendimento e a melodia ajuda o ouvinte a memorizar o conteúdo que queremos passar”, avaliou. Thiago Fersan, vocalista do grupo, enfatizou a urgência do combate à dengue ao final da apresentação. “Fizemos uma música e entramos nessa guerra, todos contra a dengue”.

Ao final do evento, em Nova Lima, foram trocadas aproximadamente 2.160 caixas de leite por pets, latas e pneus.

 

Agência Minas

Fundação Cristiano Varella 728

1 COMENTÁRIO

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite um comentário
Por favor digite seu nome aqui